quarta-feira, 23 de junho de 2010

Bipolaridade


A mudança sem motivo ou exagerada entre a alegria e tristeza, euforia e depressão pode ser doença. Estamos falando do transtorno bipolar, que atinge 10% da população mundial. É muito confundida com a depressão e o diagnostico errado principalmente nos casos mais graves, há 15% de suicídios. Até bem pouco tempo era chamada de Psicose Maníaco-depressivo.

O distúrbio bipolar como atualmente é denominado também é conhecido como mania e depressão, ocorre mudanças não esperadas no estado mental da pessoa, devido a uma desordem do cérebro, diferente dos altos e baixos normais que todos sentimos.

Tem origem genética, sua causa é desconhecida mesmo sendo considerada endógeno é desencadeado por traumas, acidentes, quebras financeiras, separações, troca de emprego, morte de pessoas queridas e outros. É uma doença séria, que afeta no trabalho, escola, destrói relacionamentos e pode levar ao suicídio.

O seu tratamento deve ser para toda a vida por ser uma doença persistente permite que seu portador tenha uma vida produtiva e feliz. Consegue-se harmonizando o humor preservando o brilho do temperamento, com bons hábitos de vida, uso de psicoterapia e medicamentos estabilizadores do humor. Os medicamentos são eficazes e com poucos efeitos colaterais.

No transtorno bipolar o paciente apresenta episódios de mania, alterados com episódios depressivos (altos e baixos). As fases maníacas não são obrigatoriamente seguidas por fases depressivas, ou vice-versa. Na prática ocorrem muito mais casos dos pacientes fazerem várias crises de um tipo e poucas de outro. Existem os casos de pacientes que nunca fizeram fases depressivas e há deprimidas que só tiveram uma fase maníaca, enquanto que as fases depressivas foram inúmeras. O DBP causa mudanças bruscas do humor, entre o “alto” onde a pessoa se sente confiante, com a sensação de invencibilidade, poder, felicidade suprema e/ou irritabilidade, o que faz mudar de maneira rápida ou não, para a tristeza a falta de esperança e novamente a traz para o alto, geralmente com períodos de normalidade entre essas fases.

Sintomas da Mania: Pessoa agradável, disposta, excessivamente alegre, auto-estima elevada, fala muito, pensamentos extremamente rápidos, gasta compulsivamente, dorme pouco, aumento de energia na produtividade e não necessita de descanso. Não tem limites a respeitar ou barreiras que impeçam qualquer ação., longo período de comportamento diferente do habitual, aumento da atividade sexual, comportamento provocativo, agressivo, negação de que algo errado, extrema irritabilidade, distração, não consegue concentrar. O falar se dá em tom de voz elevado, cantar é um gesto freqüente.

Sinais de depressão: Sentimentos de tristeza ou pessimismo, tristeza, ansiedade ou sensação de vazio, isolamento social e familiar, redução da imunidade, sentimentos de culpa, desesperança, baixa auto-estima, perda de interesse por atividades ou prazeres de que gostava diminuição de energia, sentimentos de fatiga ou estar devagar, dificuldade de concentração, de lembrar e tomar decisões, agitação ou irritabilidade, insônia ou dorme em demasia, mudança no apetite e/ou aumento ou perda de peso, dor crônica ou outro sintoma persistente não causado por doenças físicas ou acidentes, pensamentos de morte, suicídio ou tentativas de suicídio, libido ou desejo sexual diminuído.

Autora: Enfª.Drª.Maria Amélia da Costa Rech

Um comentário:

Lizaura disse...

É amiga, muito interessante essa postagem.
Sinto tudo isso, exatamente assim...
É algo que não quero, mas sinto...
Faço tratamento com psiquiatra e não posso parar... Já fui internada por isso...
Apareceu depois que minha mãe faleceu e após várias cirurgias q fui submetida.
As vezes fico estressada só de pensar que tenho isso...penso que não tenho, ms os sintomas dizem ao contrário do meu querer...
Obrigada pela matéria, muita gente diz q isso é frescura, pq não sente na pele.
Agradeço sua atenção para com o assunto.
Bjo